sábado, 23 de fevereiro de 2008

JOHN HERBERT 13 Oct. 1926 - 22 Jun. 2001 Toronto


John Herbert Brundage trabalhou décadas no teatro em diversas funções. Antes de atingir a fama com esta peça, foi ganhando a vida com todo tipo de trabalho.
No Canadá, até 1969, os actos homossexuais eram puníveis com pena de prisão até 14 anos. Herbert era evidentemente “gay” e gostava de usar roupas de mulher em público, chegando a desfilar modas femininas. Isto era ilegal na década de 1940 e, para mais, valeu-lhe várias agressões. No Outono de 47, Herbert foi atacado por um grupo de jovens que tentou roubá-lo. Quando a polícia interveio, os atacantes alegaram que Herbert lhes tinha feito propostas indecentes e mantiveram a acusação em tribunal. O autor foi condenado a quatro meses no reformatório de Guelph, passando aí o 21o aniversário. Libertado em Fevereiro de 1948, foi novamente detido por travestismo no reformatório de Mimico. Ainda se praticava a punição corporal nas prisões canadenses. Herbert foi espancado e violado por reclusos num armazém de ginásio no reformatório de Guelph e, no de Mimico, foi acorrentado pelos quadris e tornozelos e chicoteado nas nádegas por um guarda até desmaiar. Estas experiências são retratadas em Fortune and Men's Eyes. Herbert persistiu em travestir-se enquanto recluso e, tal como a "Queenie" que haveria de criar 16 anos mais tarde, em 47 preparou em segredo para a festa de Natal do reformatório um dramático vestido de noite preto, fez um turbante de cetim preto à moda parisiense para cobrir a cabeça rapada, e cantou uma paródia sobre o amor ao estilo de Marlene Dietrich.
Regressando a Toronto em 1955, fundou e dirigiu artisticamente três teatros com programação alternativa, tornando-se influente na cena teatral canadense. Escreveu 24 peças, das quais 6 estão publicadas.